Net Rosas Banner Grande
Unimed Banner Grande
BQHost Banner Grande
Barbacena Shopping

Momento Unimed: Médico Urologista, José Geraldo Coutinho, fala sobre câncer de próstata.

Homem que cuida da saúde enche a gente de orgulho, não é mesmo? Cuidar do corpo e da mente deve ser parte da rotina da vida de quem busca viver mais e melhor. E neste mês de novembro as atenções estão voltadas para alertar os homens sobre a importância do autocuidado. Em especial, é tempo de se falar em prevenção do câncer de próstata. E você sabia que, sem considerar os tumores de pele não melanoma, o câncer de próstata é o mais incidente entre homens de todas as regiões do país?

Segundo o Instituto Nacional do Câncer, estima-se quase 70 mil novos casos de câncer de próstata entre os anos de 2018 e 2019.  Confira a conversa sobre câncer de próstata, prevenção e cura com o médico urologista da Unimed, José Geraldo Coutinho.

Unimed:  Obrigada por ter aceitado nosso convite para esse bate papo e primeira pergunta é: o câncer de próstata tem uma manifestação específica?

Dr. José Geraldo: Muito obrigada pela oportunidade e parabéns pela iniciativa de chegar aos homens nessa campanha do novembro azul, que já está ai já há algum tempo. Não existe nenhum sintoma que seja específico do câncer de próstata. Nada que um homem possa estar sentindo equivale ao câncer de próstata, em nenhuma fase da doença. Até nas primeiras fases, na mais precoce da doença e até em estágios mais avançados, a doença é absolutamente silenciosa, não existindo nenhum sintoma.

Unimed: Então, é realmente muito importante esse diagnóstico precoce, os exames rotineiros e a visita ao médico.

Dr. José Geraldo: Sem dúvida é de extrema importância. O homem que faz o diagnóstico do câncer de próstata em sua fase inicial, apesar da notícia desagradável, ele vai se beneficiar muito mais do tratamento, sendo este muito mais fácil e aumentando muito as chances de cura de uma doença grave, que poderia comprometer a sua vida.

Unimed: Existe algum hábito que o homem possa adotar para se prevenir do câncer de próstata?

Dr. José Geraldo: Prevenção mesmo, específica para o câncer de próstata, infelizmente não tem. Mais uma razão para se fazer a detecção precoce de quem vai desenvolver o câncer de próstata. Agora, existem fatores de risco que estão muito bem estabelecidos, que estão mais relacionados a hábitos saudáveis de vida que não são específicos apenas para o câncer de próstata. A ingestão de carne vermelha, por exemplo, ou o abuso de alimentos muito gordurosos, o hábito de fumar, o controle da ingestão de bebida alcoólica, controle de peso, atividade física, tudo isso, enfim, são coisas ligadas à hábitos saudáveis de vida que vão ajudar muito o paciente na história do câncer de próstata.

Unimed: Se a gente falar um pouquinho sobre tratamento, o que já tem disponível hoje?

Dr. José Geraldo: Existem várias modalidades de tratamento tanto cirúrgicos, quanto radioterápicos. Tudo vai depender da fase e da classificação de risco no momento do diagnóstico do paciente. Mas, em linhas gerais, nós temos o tratamento cirúrgico, que é a Prostatectomia radical, nós tiramos toda a próstata e algumas estruturas vizinhas. Essa cirurgia, ela pode ser feita cirurgia aberta ou videolaparoscópica, ou até robótica. Tem também a radioterapia, que pode ser a radioterapia externa, ou a braquiterapia. Além disso, nós temos a hormonioterapia, Enfim, são várias modalidades de tratamentos.

Unimed: O câncer de próstata tem cura?

Dr. José Geraldo: Sim, mas essa cura depende muito da iniciativa do paciente e principalmente da detecção precoce do tumor. Com o diagnóstico em fase inicial, o paciente tem 90% de chance de recuperação.  Quando o paciente faz o diagnóstico em fases mais avançadas, as chances de cura são mínimas ou inexistentes.

Unimed: A gente sabe que é menor esse número hoje, mas muitos homens ainda evitam procurar um consultório médico, seja por receio ou por vergonha. Eu queria que a gente reforçasse a importância do acompanhamento médico, independente só da questão da próstata, mas da saúde do homem e também da realização desse exame de próstata. Eu queria que o senhor, como médico urologista, que atende os homens, desse esse reforço, do quanto é importante para o homem se cuidar.

Dr.  José Geraldo: Então, nós estamos falando de uma doença muito frequente, grave, que se nós perdermos o controle do tratamento, pode levar ao óbito. Para ter uma ideia, o Instituto Nacional do Câncer estima para esse ano, em torno de 70.000 novos casos de câncer de próstata no Brasil. A Organização Mundial da Saúde (OMS) vai mais longe. Ela chega a estimar mais de 80.000 novos casos de câncer para este ano, no país. Isso significa dizer que a cada sete minutos  nós fazemos um diagnóstico de câncer de próstata. E, infelizmente, a cada quarenta minutos, um homem morre de câncer de próstata, no Brasil. Nós temos ainda hoje 20% dos homens fazendo diagnóstico em fase avançada da doença. Talvez, se tivesse ido um pouco antes, teria sido melhor para os resultados. O exame de toque, isso é secundário. É o exame físico mais rápido da medicina, são três segundos de exame. Eu acho que homem que é homem se cuida. Homem que se ama e que ama a própria família, que quer ver os sobrinhos e os filhos crescerem, esse se cuida. Isso é ser homem, realmente. Agora, exame de toque, é uma bobeira diante da grandeza de um diagnóstico precoce, que vai levar a pessoa a ficar livre de uma doença tão perigosa.

Unimed: Existem algumas dúvidas que são muitos pertinentes nesse mundo. Eu acho que a primeira delas é: quem deve fazer esse exame para diagnóstico de câncer de próstata e quando deve ser feito esse exame?

Dr. José Geraldo: Então, isso é importante porque, às vezes, nós recebemos pacientes que estão completamente fora do padrão para fazer exames. Hoje, a Sociedade Brasileira de Urologia orienta que a partir de 50 anos todos os homens devem fazer os seus exames de próstata e avaliar a saúde dela. Agora, aqueles que têm fatores de risco devem ir mais cedo, pelo menos aos 45 anos. E quem são aquelas pessoas que têm fatores de risco? Quem tem histórico familiar, por exemplo. Um homem que tenha um parente de primeiro grau, que tenha tido câncer de próstata, ele tem duas vezes mais chances do que a população geral de desenvolver esta doença.  Já um homem que tem dois parentes de primeiro grau com câncer de próstata, tem seis vezes mais de chance de desenvolver do que a população geral.

Outra coisa, no caso do câncer de próstata, ele acontece mais e mais cedo, em homens negros. Então, isto também é um fator de risco. Desta forma os homens negros devem começar pelo menos aos 45 anos de idade.

Unimed:  Existe alguma consequência na vida do homem após a detecção e tratamento do câncer de próstata? O que acontece na vida dele?

Dr. José Geraldo: Do ponto de vista do tratamento, pode sim, um paciente que vai ser submetido a uma prostatectomia radical, a uma radioterapia, a uma hormônioterapia em consequência do diágnóstico do câncer de próstata. Ele pode, tem risco pequeno, até 5% de desenvolver, por exemplo, um incontinência urinária, que é um risco menor.

Em relação àquilo que os homens se preocupam bastante, em relação à potência sexual, também existe um risco um pouco maior do que a incontinência. Agora, nem todos vão ficar impotentes, vão perder potência, alguns vão perder algum grau de potência. Vai depender da idade, da história sexual de cada um.

Então, é importante conversar sobre isso com o paciente quando a gente vai submetê-lo ao tratamento. Agora, cada caso é um caso e diferente.

Unimed:  Nós ouvimos muito falar de câncer de próstata, mas existem também outras doenças ligadas à próstata?

Dr. José Geraldo: A próstata é um órgão como um outro qualquer. Então, ela pode ter inflamação, infecção, até calcificação. Pode ter aumento benigno da próstata relacionado à idade do homem, e essas doenças têm duas vantagens em relação ao câncer de próstata. Primeiro, que são benignas. Dificilmente, alguém vai morrer por causa de uma doença dessas. E a segunda vantagem é que essas avisam o paciente, porque elas não são silenciosas. Elas dão sintomas e o paciente acaba sendo obrigado a ir procurar o especialista porque ele está sentindo. E, muitas vezes, chegam lá apavorados achando que aquilo significa câncer de próstata. Quando, na verdade, o câncer de próstata tem duas grandes desvantagens. Primeiro que câncer é letal, é perigosíssimo. E segundo porque é silencioso. Então, por isso é tão importante fazer o diagnóstico precoce.

Nós encerramos essa entrevista com a frase do doutor José Geraldo, que é inspiradora: “homem que é homem se cuida”. Então, homens, cuidem-se, por favor. Doutor José Geraldo, super obrigada pela conversa. Eu tenho certeza que é uma iniciativa pequena frente a tudo que a gente pode fazer. Mas eu acho que ajuda a esclarecer para os nossos leitores a necessidade do autocuidado.

Dr. José Geraldo: Eu que agradeço o privilégio dessa oportunidade, e mais uma vez, parabéns pela iniciativa. E eu espero que os homens aproveitem ao máximo essa oportunidade.

Fonte: Divulgação/Unimed.

BQHost Banner Grande 2
Barbacena Shopping