Net Rosas Banner Grande
Unimed Banner Grande
BQHost Banner Grande
Aprendiz

Falta de repasses pode comprometer serviços prestados pelo SAMU  na região. 

Durante a última reunião do ano do Consórcio Intermunicipal de Saúde da Rede de Urgência Centro-Sul (CISRU) de Minas Gerais, realizada na Central de regulação, em Barbacena, na última quinta-feira (08), o Conselho Diretor apresentou o balanço referente a janeiro e outubro deste ano, com números de atendimentos por telefone, por unidades do SAMU e de encaminhamentos do SAMU para hospitais dos 51 município consorciados; à nomeação de profissionais aprovados no último concurso público; e às finanças, prejudicadas pela dívida do Governo do Estado, que já chega a R$ 5 milhões. O prefeito  de Congonhas, José de Freitas Cordeiro (Zelinho), que completa, em dezembro, o segundo mandato consecutivo como presidente do CISRU Centro Sul, após ter presidido o consórcio outras vezes, levou esta demanda ao governador eleito, Romeu Zema, na sexta-feira (09) em reunião realizada na sexta-feira (09) da Associação Mineira de Municípios (AMM), mas as conversas terão de continuar quando for definida a equipe do novo Governo Estadual.

Estiveram presentes o presidente do consórcio e prefeito de Congonhas, José de Freitas Cordeiro (Zelinho); a vice-presidente e prefeita de Santa Cruz de Minas, Sinara Rafaela Campos; o conselheiro, José Heitor Guimarães de Carvalho, prefeito de Nazareno; e o secretário de Saúde de São João del-Rei, José Marcos Ferreira de Andrade, representando o prefeito Nivaldo José de Andrada, também conselheiro. A reunião foi conduzida pela secretária executiva do consórcio, Ormezinda M. Barbosa.

Os compromissos financeiros assumidos pelo CISRU Centro Sul correm risco, segundo sua secretária executiva. “A inadimplência do Governo do Estado com o consórcio perdura há 5 meses, o que representa em torno de R$ 5 milhões em atraso, e há despesas com folha de pagamento, 13° salário, rescisões e férias.  Por isso, não conseguimos fazer reserva financeira para quitar essas obrigações. Haverá uma encontro estadual dos consórcios da rede da urgência e emergência, na próxima semana, durante o qual o CISRU Centro Sul e os demais tentarão encaminhar uma solução para o problema”, explica.

O SAMU é custeado pelo Governo Federal, Governo Estadual e pelos 51 municípios consorciados, sendo que o único ente em débito com o consórcio é o Estado. Por isso, o prefeito Zelinho e seus pares da Associação Mineira de Municípios apresentou o problema ao governador eleito, Romeu Zema, durante reunião ocorrida na última sexta-feira (09), na sede da entidade, em Belo Horizonte. “Esperamos que o próximo governador coloque este débito em dia para não prejudicar a prestação destes serviços importantes para salvar vidas”, anseia Zelinho.

O número de atendimentos do SAMU vem aumentando, porque o usuário está aprendendo a usar adequadamente o número 192. Entre janeiro e outubro de 2018, SAMU de região Macro Centro Sul recebeu 185.764 chamadas, realizou 18.229 orientações médicas e 21.603 envios de ambulâncias. Em Congonhas, foram 1.063 orientações médicas e 1.314 envios de ambulância.

Os três principais destinos dos encaminhamentos entre janeiro e outubro de 2018 são; o Hospital Regional de Barbacena (3.201), UPA de São João del-Rei (2.353), Policlínica de Conselheiro Lafaiete (1.771) e Hospital Bom Jesus, de Congonhas, (1.122).

O SAMU Centro Sul tem realizado um trabalho intenso para coibir o trote. “Uma de nossas ações foi encaminhar ao Ministério Público uma denúncia com os números de telefone recorrentes para que haja a apuração devida. Mas os trotes têm diminuindo nos últimos três meses”, afirma a secretária executiva do CISRU Centro Sul.

Ainda segundo Ormezinda M. Barbosa, com relação ao concurso público homologado em julho deste ano, foi elaborado um plano de trabalho conjunto entre o consórcio e o sindicato do setor e encaminhado ao Ministério Público, estabelecendo, a partir de critérios objetivos, a forma da posse parcial. Baseado no documento, já foram nomeados para a Sala de Regulação 4 médicos, 1 farmacêutico, 1 psicólogo, 14 auxiliares de regulação médica e 11 auxiliares administrativos. Os médicos estão sendo nomeados aos poucos. Somente para as bases descentralizadas onde faltavam profissionais é que serão empossados candidatos aprovados no concurso. A primeira delas a receber novos profissionais concursados é a de Conselheiro Lafaiete.

Fonte: Prefeitura de Congonhas/Foto(arquivo): Januário Basílio.

BQHost Banner Grande 2