Net Rosas Banner Grande
Collegiati – Construtora
BQHost Banner Grande
Banner grande BQHost 2

Governo de Minas fecha hospital de Campanha, que nunca recebeu pacientes

Manutenção da estrutura consumiu R$ 2 milhões em cerca de quatro meses. Dinheiro daria para custear 800 diárias de leitos de UTI ou comprar 8 mil testes RT-PCR, que é o indicado para diagnóstico da Covid-19.

O governo de Minas Gerais começou a desmontar parte do hospital de campanha nesta quinta-feira (11), logo após anúncio do secretário-geral, Mateus Simões, em entrevista coletiva. Nos pouco mais de quatro meses em que o hospital ficou parado, o estado gastou R$ 2 milhões para manutenção da estrutura.

“Desde o mês passado, vem sendo discuto sobre qual seria o momento em que a gente poderia fazer a desmontagem [do hospital de campanha]. A gente aguardava os índices de segurança de ocupação hospitalar da Região Metropolitana, os números estão estáveis dentro das duas últimas semanas e, portanto, nesta semana [o governo] começa a desmontar a estrutura física [do hospital de campanha]”, disse o secretário.

foto-reprodução-g1-mg--02

De acordo com o governo, o hospital foi construído na condição de reserva técnica, como medida preventiva, para evitar estrangulamento do sistema de saúde, “algo que, felizmente, não aconteceu”. Os equipamentos que foram comprados para a estrutura serão absorvidos pela rede hospitalar, garantiu o governo.

A empresa que administra o espaço disse que ainda não foi comunicada sobre o que o estado pretende fazer com o Expominas e que não iria se manifestar.

Fonte e fotos: G1 Minas Gerais.

Leia também:

ESTADO ABRE CONTRATAÇÃO EMERGENCIAL PARA HOSPITAL REGIONAL DE BARBACENA